Limpa Fossa em Porto Alegre

Empresa - Limpa Fossa em Porto Alegre

 


Fossa séptica biodigestora: limpeza e manutenção

A fossa séptica é uma importante instalação em várias casas e imóveis que não são diretamente atendidos por tubulação de saneamento básico da rua. Muito usada em áreas em território rural, esse tipo de estrutura é fundamental para o bem-estar e o dia a dia de muitas famílias ou empresas.

Existem diferente tipos de fossa séptica, entre os principais está a fossa séptica biodigestora, que funciona através de uma série de ações de organismos que realizam a decomposição dos dejetos humanos para neutralizar os efeitos nocivos do esgoto.

A limpeza de fossa séptica biodigestora é uma das especialidades da Limpa Fossa Porto Alegre. Realizamos o serviço de limpeza e manutenção de fossa séptica biodigestora com toda a segurança e eficiência necessária para nenhum dano à sua propriedade.

Contar sempre com uma empresa profissional de limpeza de fossa é importante para garantir que a estrutura não sofra danos e que não haja nenhum problema com os procedimentos de biodigestão da fossa.

Aliás, apesar de ser considerado um procedimento mais rudimentar, a fossa séptica traz uma série e procedimentos complexos e que dependem da saúde de todos os organismos presentes dentro da fossa.

Veja mais sobre a limpeza e manutenção de fossa séptica biodigestora.


Limpeza e manutenção de fossa biodigestora

Assim como os outros tipos de fossa, a biodigestora também precisa ser limpa dentro da frequência recomendada. Porém, antes e falarmos sobre a limpeza dessa estrutura, é importante tocarmos no assunto da manutenção mensal que é preciso realizar.

A fossa biodigestora funciona através de uma série de procedimentos que começam no recebimento dos dejetos humanos, passando pela decantação e pela digestão de bactérias anaeróbicas.

Essas bactérias são parte importante do funcionamento da fossa e por isso, precisam estar em equilíbrio. Parte da manutenção mensal da fossa biodigestora é realizado através da inserção de uma mistura fertilizante orgânico fresco com água.

Uma vez por mês, é necessário colocar essa combinação dentro da fossa. A quantidade depende muito das recomendações do fabricante ou do engenheiro responsável pela obra. Porém, de forma geral, é possível calcular o uso de cerca de 4 dedos de esterco fresco para um balde de água.

Misture bem para que a solução fique bem diluída e coloque através da válvula de manutenção na fossa biodigestora. Lembre-se de nunca levantar a tampa da fossa para manutenção caseira! A solução deve ser colocada através de um ponto de inserção determinado.

Essa manutenção mensal é simples e fácil de ser feita e melhora bastante a vida útil de fossas sépticas biodigestoras.

Já em relação a limpeza, ela deve ser feita da mesma forma que em outras fossas, dentro do período estipulado pelo projeto e sempre por uma empresa profissional!

Por que contratar uma empresa profissional para limpeza e manutenção de fossa séptica biodigestora?

A fossa biodigestora, como falamos por aqui, depende bastante do equilíbrio das bactérias anaeróbicas, além é claro, da integridade de toda a estrutura. Qualquer falha nestes segmentos pode causar um problema grave que pode ir desde contaminação do solo, até a inutilização completa da fossa séptica.

Outro problema que pode acontecer durante a limpeza caseira da fossa séptica biodigestora é a contaminação do sistema ao deixar sujeira ou até mesmo produtos químicos cair dentro do sistema.

Além do cuidado que uma empresa profissional pode oferecer para a limpeza de fossa, também é importante considerar onde os dejetos vão ser jogados. Quando a limpeza é feita de forma caseira ou por empresas não regularizadas, é possível que os dejetos sejam jogados em lugares não adequados.

Assim, a limpeza de fossa malfeita acaba contaminando o meio ambiente e prejudicando bastante a natureza.

Para garantir segurança para a fossa e também para o meio ambiente, é necessário realizar a limpeza de fossa com uma empresa profissional!


Dicas para proteger a fossa séptica

Existem algumas dicas que você pode seguir para garantir que a fossa séptica continue funcionando sem nenhum risco. A primeira e mais importante é não usar produtos químicos, principalmente com base na soda caustica ou então com base em álcool.

Esses produtos matam as bactérias dentro da fossa biodigestora e inutilizam todo o procedimento, tornando a fossa apenas um reservatório e evitando o tratamento de esgoto correto.

Outra dica importante é sempre se certificar de que a tampa dos reservatórios não está entreaberta, permitindo a passagem de água para dentro da fossa. Se a água da chuva cair dentro da fossa, ele vai acabar enchendo, o que pode causar danos graves para o sistema.

Para contar com o melhor serviço de limpeza e manutenção de fossa séptica biodigestora, você pode entrar em contato com a Limpa Fossa em Porto Alegre!

Levamos para você os melhores profissionais e os melhores equipamentos para garantir uma limpeza completa e eficiente. Com a gente você tem toda a segurança e garantia necessária para ficar tranquilo!


Fossa séptica pré-moldada: o que é, para que serve e quanto custa

A fossa séptica desempenha uma função importante em diversas residências e localidades. O tratamento de esgoto é um dos mais importantes fatores para garantir a qualidade de vida das pessoas habitando um determinado ambiente. Em zonas rurais ou periferias afastadas de grandes centros, é possível encontrar residências que ainda não possuem tratamento de esgoto canalizado.

Para essas áreas, é mais do que fundamental a criação de um sistema de tratamento efetivo e que traga os benefícios necessários para que os moradores tenham o que precisam para garantir não só a saúde dos indivíduos, mas também a não poluição o meio ambiente (algo que também está diretamente ligado com a saúde dos que estão no ambiente).

Existem diversos tipos de fossa séptica, sendo a mais comum a fossa negra, feita de alvenaria e coberta com cimento. Além dela, existe também a fossa biodigestora, que é capaz de devolver a água dos efluentes sem causar nenhum risco ao meio ambiente, e, é claro, a fossa pré-moldada.

Conheça um pouco mais sobre a fossa pré-moldada, qual a sua utilidade e o seu preço neste artigo elaborado pela Limpa Fossa em Porto Alegre para esclarecer as dúvidas de nossos clientes e leitores do nosso blog!

Fossa séptica pré-moldada

Como nome já indica, as fossas sépticas pré-moldadas são fabricadas fora do local de instalação e levadas até o local da em que a fossa vai ser encaixada. Esse processo agiliza drasticamente a montagem da fossa e garante mais segurança, considerando que os produtos pré-moldados devem estar de acordo com normas de inspeção e controle de qualidade, algo que as fossas negras de alvenaria podem não ter. As fossas biodigestoras também podem ser pré-moldadas.

As fossas sépticas pré-moldadas são geralmente compradas diretamente com os fabricantes, que normalmente são empresas que fabricam estruturas de concreto pré-moldado ou pré-fabricado. A maioria dessas empresas dão cotação sobre a montagem das peças, dependendo do tipo escolhido.

Existem dois tipos diferentes de fossas sépticas pré-moldadas. Os modelos são as inteiriças e as em anéis. As inteiriças são feitas de uma única peça e não são necessariamente construídas de concreto, elas podem ser feitas de materiais como PVC e polietileno, por exemplo. As inteiriças são levadas até o local onde a fossa foi cavada e são encaixadas de acordo com o projeto.

As fossas sépticas em anéis exigem a montagem no local do projeto. Essas fossas são constituídas de anéis de cimento pré-moldados que são encaixados em cima de uma base lajeada. Depois de montada, a fossa recebe uma camada de concreto magro para vedação e a tubulação, deixando-a pronta para uso.

Vale lembrar que a tubulação das fossas sépticas pré-moldadas precisa ter um caimento de 2% (2cm a cada metro) para garantir o funcionamento correto.

Por isso, é importante que a instalação seja sempre feita por um profissional com experiência nesse tipo de sistema. Sempre confie em profissionais treinados e especializados nesses projetos.

Para que serve a fossa séptica pré-moldada

A fossa séptica pré-moldada tem exatamente a mesma função de outras fossas. Ela recebe os efluentes de uma residência, realiza o tratamento biológico do material nocivo à saúde e através de um sumidouro devolve o líquido para o meio ambiente sem prejudicar a natureza.

A diferença da fossa pré-moldada fica por conta da sua praticidade de instalação e para futuras manutenções. Há também a garantia de um projeto mais bem executado, já que ela está dentro de padrões aprovados pelo mercado e pela indústria.

Apesar da facilidade de instalação, é preciso ficar atento e alguns detalhes. Por exemplo, é necessário realizar um cálculo em relação ao nível de consumo de água da residência. Por padrão, é usado um valor e 250 litros de água por pessoa por dia. Com isso em mente, a recomendação do mercado é que a fossa não tenha menos de mil litros.

Quanto custa uma fossa séptica pré-moldada

A fossa séptica pré-moldada facilita bastante na hora de pesquisar por preços. Por ser feita em fábricas, é possível pesquisar o preço de diferentes modelos e de diferentes fabricantes para conseguir o valor que mais encaixa com a sua necessidade.

Isso torna a precificação da fossa séptica muito mais flexível. É possível encontrar fossas de polietileno a partir de R$ 1 mil. A montagem é mais simples e mesmo com a necessidade profissionais preparados, ainda pode sair mais em conta do que a construção de uma fossa de alvenaria do zero.

As fossas precisam de limpeza constante! Por isso, se você tem uma fossa na sua propriedade, que tal contar com o melhor serviço limpa-fossa de Porto Alegre e Região? Com a Limpa Fossa em Porto Alegre você garante o melhor serviço para garantir a segurança da sua família, clientes e funcionários!

Não deixe de conhecer nossas soluções e facilidades. Entre em contato com a gente e sabia que você vai encontrar tudo o que precisa!


Tratamento de esgoto em condomínios: Como fazer

O tratamento de esgoto em condomínios é um pouco diferente do tratamento em residenciais. A lei exige que os condomínios que fiquem em áreas com rede de esgoto se liguem diretamente à rede, já os que não ficam nessas áreas devem ter uma Estação de Tratamento de Efluentes (ETE) própria.

As Estações de Tratamento de Efluentes está cada vez mais popular em condomínios. É possível encontrar este tipo de estrutura tanto nos condomínios verticais quanto nos horizontais, sejam de alto padrão ou populares.

Essa popularidade não é à toa. Os novos sistemas de tratamento de esgoto em condomínios são bem eficientes, estão cada vez mais acessíveis e podem até gerar economia. Sem contar que fazem bem para o meio ambiente.

A Limpa Fossa em Porto Alegre traz para vocês um artigo que fala mais sobre o tratamento de esgoto em condomínios e como ele é feito!


Como é feito o tratamento de esgoto em condomínios

Até poucos anos atrás os condomínios optavam pelo uso das fossas sépticas para o tratamento de esgoto. A fossa séptica funciona de forma bem simples, coletando todo o esgoto sendo tratado em três processos simples.

  • Primeiro todo o esgoto é coletado em uma fossa séptica;
    • Dentro dessa fossa há o processo de decantação, onde o sólido é separado do líquido com ajuda da gravidade.
  • Depois há um processo biodigestor realizado por bactérias anaeróbicas.
  • Após esse processo o esgoto está 90% tratado e já pode voltar para o ambiente através do sumidouro sem causar danos para a natureza.

No fim do processo, o lodo que sobra na fossa deve ser limpo por empresas profissionais e destinados a aterros sanitários adequados.

Bem simples. Não é mesmo?

Porém, em condomínios com muitas pessoas, a fossa não é mais considerada a melhor opção por causa do volume necessário para o tratamento. Sem contar que as novas legislações também fazem os condomínios de grande porte preferir as ETEs.

Como funciona as ETEs?

As Estações de Tratamento de Efluentes são mais complexas que os sistemas que utilizam fossas. Ele tem um procedimento dividido em diversas etapas. Confira quais são de modo geral:

  • Os efluentes, da cozinha e do banheiro, saem dos apartamentos e vão até a estação elevatória. Aqui há o processo de gradeamento, onde o sólido é separado do líquido de forma mais grossa. O sólido é limpo por uma empresa especializada tal como no casso da fossa séptica e o líquido é bombeado para o resto do processo de tratamento. Também acontece processo de decantação neste primeiro momento.
  • O líquido é bombeado para os reatores que realizam o processo biodigestor. Aqui o líquido também é aerado para melhorar a limpeza e o tratamento do esgoto. O processo de limpeza é feito por bactérias que são mantidas dentro do sistema. As bactérias produzem o lodo que vai para a área de secagem antes de também ser encaminhado para aterros. Alguns modelos de ETEs tem um processo automatizado de embalar o lodo para ser despejado.
  • Durante o processo dos reatores, é produzido o biogás, que contém metano. Esse gás é inflamável e é aqui que entra uma das principais vantagens das ETEs. O biogás é queimado para ser convertido em CO2 (O gás carbônico é menos poluidor do que o Metano). Porém, dependendo do projeto, o condomínio pode utilizar a queima do metano para gerar energia. Trazendo economia para o consumo de energia do prédio.
  • Alguns ETEs tem um processo final com cloro e outros com luz Ultravioleta (UV). Tanto o cloro quanto o UV desinfetam a água. Depois disso ela está totalmente tratada.

Após o final deste percurso a água pode ser devolvida para o ambiente através de sumidouros ou reutilizada para a irrigação de plantas e gramados além da limpeza em alguns lugares.


Qual o sistema escolher?

Essa é uma pergunta que pode ser respondida apenas pelo engenheiro responsável pelo projeto de tratamento de esgoto no condomínio. Ele vai tomar essa decisão baseado em diferentes fatores.

Já em relação ao preço, deve ser escolhido pensado nas vantagens e na qualidade de vida dos moradores. Como dissemos, existem diferentes vantagens para quem utiliza as ETEs.

Isso quer dizer que apesar do preço alto, depois de um tempo é possível recuperar o valor na economia de água e energia que é possível fazer com esses sistemas.

As ETEs são mais eficientes e muito mais amigáveis com o meio ambiente. Trazendo não apenas as vantagens econômicas, mas diminuindo bastante o efeito causado pelo imóvel no meio ambiente.

Hoje em dia muitos moradores estão preocupados com a natureza e quais as ações do condomínio para proteger o meio ambiente.

Esses são fatores importantes na hora de decidir qual o sistema de tratamento é o mais indicado para o empreendimento.

Para a limpeza de fossas sépticas e ETEs não tem dúvidas! A melhor escolha para o estado de Porto Alegre é a Limpa Fossa Porto Alegre!


Fossa Séptica e Sumidouro entenda as diferenças

Existem diversos tipos de fossas e tratamentos baseados em processos químicos. Entre os termos mais comuns existem uma certa confusão para distinguir as diferenças entre fossa séptica e sumidouro.

A fossa séptica, ou tanque séptico, é um dos sistemas de tratamento de esgoto mais conhecidos no mundo todo. Usado principalmente em locais rurais e sem a presença de sistemas de coleta de esgoto.

No Brasil, as fossas sépticas são muito comuns em zonas rurais, fazendas, sítios, ranchos, propriedades em parques nacionais e áreas de preservação, além de propriedades próximas da praia.

Em outros países este tipo de sistema é comum até mesmo em zonas urbanas. Ou seja, a fossa séptica é uma estrutura importante e que possibilidade a qualidade de vida de muitas pessoas, incluindo ambientes residenciais e comerciais.

O sumidouro faz parte do sistema de fossa séptica e desempenha uma importante função na hora de tratar os efluentes da residência. Ele precisa ser instalado de acordo com as regras que impõe a distância mínima e o tipo de solo em que ele precisa ser colocado.

A ideia do sumidouro, como o nome já indica, é destinar parte dos efluentes para “sumir” no ambiente, sem prejudicar a flora, fauna e recursos naturais do ambiente.


 Fossa séptica como funciona

A fossa séptica é um sistema de tratamento de esgoto de baixo custo. Mas isso não significa que o seu processo seja simples. A fossa séptica funciona através de diversos processos químicos e biológicos para garantir o tratamento dos dejetos e anular os efeitos nocivos à natureza.

A primeira etapa do funcionamento da fossa séptica é a coleta do material dentro do tanque séptico. O primeiro processo se chama decantação. Neste momento a gravidade faz a função de separar os líquidos dos sólidos. Os dejetos sólidos ficam depositados no fundo do tanque, formando o que é chamado de “lodo”.

Logo após a separação entre as partes sólidas e líquidas do esgoto começa o processo de decomposição. Este é um procedimento complexo, realizado por bactérias anaeróbicas que para realizar a sua função precisam estar saudáveis.

Este processo libera gases que escapam pelas válvulas de saída da fossa. A ideia é que as bactérias também neutralizem boa parte da nocividade dos gases, permitindo que eles voltem para o meio ambiente de forma menos agressiva.

Após este processo os dejetos ficam divididos entre lodo, dejetos líquidos e escuma (camada quase sólida que boia na parte líquida).

Conforme o tanque séptico vai enchendo, o líquido passa a ser despejado na parte inferior do segundo tanque, onde ele é filtrado por elementos naturais, como cascalho e areia. Este é o último processo antes do líquido ir para o sumidouro.

Sumidouro como funciona

Depois de todo o processo descrito logo acima, o líquido é depositado no sumidouro. O sumidouro é uma peça importante e que tem diferenças de funcionamento dependo da área instalada.

Mas a ideia principal é que ele filtre a água dos dejetos em um filtro natural de cascalhos e pedras.

Como estas estruturas são quase sempre instalados em áreas rurais, a função do sumidouro é devolver o líquido para a natureza através do solo. Em alguns casos mais raros, o sumidouro pode ser ligado com outras tubulações para destinar todos os dejetos da fossa.

O sumidouro tem uma conexão com o solo. Através desta conexão lentamente devolvido para o solo de maneira segura e sem prejudicar o meio ambiente.

As diferenças entre fossa séptica e sumidouro

Sabendo como cada uma das estruturas funciona é bem fácil entender as diferenças entre fossa séptica e sumidouro. O sumidouro é uma peça fundamental para que a fossa tenha um processo completo, desde a coleta até o correto despejo dos dejetos líquidos.

Porém, o sumidouro não funciona sozinho sem a fossa, sem ela, ele é apenas “uma caixa”.


Principais cuidados para instalar a fossa séptica e sumidouro

Por ser um sistema complicado e lida com dejetos perigosos, é preciso ser uma série de recomendações para a montagem e instalação de fossas e sumidouros. A primeira e mais importante dica é sempre contar com profissionais para realizar a instalação, limpeza e manutenção das fossas.

Sempre contrate empresas especializadas para realizar estes serviços. Não arrisque a saúde do meio ambiente e de seus familiares. A Limpa Fossa em Porto Alegre atua há anos neste segmento e pode garantir que a fossa da sua propriedade receba todos os cuidados necessários.

Na hora de instalar ou construir uma fossa séptica, é preciso seguir alguns parâmetros para auxiliar na qualidade e no funcionamento da estrutura:

  • A instalação deve sempre ter uma distância mínima de pelo menos 4 metros da residência, evitando assim o mau cheiro.
  • A fossa e o sumidouro nunca devem ficar próximos de sistemas de capitação de água (a distância mínima recomendada é de 30 metros).
  • O sistema deve ser preferencialmente instalado ao lado do banheiro, em um nível mais baixo que o terreno, mas evitando ao máximo as curvas nos canos.
  • A fossa deve receber apenas efluentes e dejetos humanos ligados ao banheiro. Evite despejar esgotos de ralos e pias. O Detergente e outros produtos podem atrapalhar o funcionamento das bactérias anaeróbicas.

Seguindo estes procedimentos, você evita que a fossa perca eficiência e garante que ela e o sumidouro cumpriram o seu objetivo.


Como funciona a limpeza de fossa

Para entender como funciona a limpeza de uma fossa, primeiro é importante entender o básico de como ela trata o esgoto.

A fossa séptica é um tanque projetado para receber e armazenar todos os dejetos de uma residência, área comercial ou industrial. Após receber os dejetos, ela passa por alguns processos.

  • O primeiro procedimento é o processo de decantação. Com o auxílio da gravidade a fossa separa todo o material líquido do sólido, formando o lodo no fundo da fossa.
  • Após o processo de decantação o esgoto despejado dentro da fossa séptica passa por um processo de decomposição. Para que o processo seja feito com sucesso, é necessário que as bactérias anaeróbicas estejam saudáveis.
  • Os gases são separados e neutralizados, se tornando menos nocivos ao meio ambiente. Os gases são liberados pelas válvulas de escape da fossa.
  • O líquido então passa por um filtro e vai para o sumidouro, onde também volta para o meio ambiente de forma menos nociva. O lodo permanece na fossa até atingir o nível onde é necessário realizar a limpeza.

O procedimento de funcionamento de uma fossa pode parecer simples, mas ele exige uma série de fatores para que seja feito com eficiência. Um destes fatores é a limpeza, que deve sempre ser feita de maneira correta.


Como é feita a limpeza de fossa

A limpeza correta da fossa é importante para evitar qualquer dano na tubulação ao às bactérias que realizam a decomposição da matéria orgânica.

Cada tipo de fossa possui um diferente modo de limpeza, que depende da marca e do modo de construção. Porém, de maneira geral, a ideia é sempre a mesma: retirar o lodo depositado no fundo da fossa séptica.

O primeiro passo do técnico é abrir a tampa ou as válvulas de escape de gás da fossa por alguns minutos. Este é um procedimento importante para que a fossa possa respirar e liberar gases perigosos que possam estar dentro do tanque séptico.

Após o período de respiração, os resíduos sólidos são retirados com uma mangueira de sucção. Eles são transportados para um contêiner preparado e equipado para receber este tipo de dejeto. A maioria das empresas utiliza caminhões especiais com bomba de sucção e contêiner para dejetos.

O procedimento não para por aqui. Depois de fazer a sucção, todos os dejetos, sem exceções, devem ser levados para um aterro preparado. Isso garante que os dejetos não serão jogados em qualquer lugar do ambiente, causando contaminações da flora e fauna.

Esse material deve ser transportado por uma equipe especializada e receber o devido tratamento.

Em muitos casos são deixados pelo menos 10% do lodo dentro da fossa. Mas não se preocupe, não é um trabalho feito pela metade. O lodo é deixado na fossa para evitar que o processo seja interrompido de vez, prejudicando o funcionamento das outras etapas.

Não existe periodicidade para a limpeza da fossa, mas é recomendado que ela seja feita pelo menos uma vez por ano em ambientes pequenos, ou 2 vezes para cargas maiores.


Normas para utilização e manutenção de fossas sépticas

As fossas sépticas são muito comuns em áreas afastadas dos centros urbanos e em zonas rurais. As fossas sépticas são de grande importância para a manutenção da saúde de todos os moradores de uma residência e também para o meio ambiente.

Porém, os efluentes domésticos tratados pelas fossas sépticas são produtos complicados e que precisam de bastante cuidado na hora do tratamento e principalmente no descarte. Portanto, a construção e manutenção das fossas sépticas são regradas por diferentes normas na NBR (Norma Brasileira).

As normas da NBR são feitas para sempre garantir a segurança e a praticidade de vários procedimentos, incluindo a construção e manutenção das fossas sépticas.

A construção, manutenção e a limpeza de fossas sépticas nunca devem ser feitos por pessoas sem experiência ou autorização para realizar estes serviços.

Além do risco de a fossa ser danificada em um procedimento realizado sem os devidos cuidados e procedimentos, ainda há o risco direto para a saúde humana e para todo o meio ambiente.

Confira as principais normas que regem os procedimentos ligados às fossas sépticas.


Normas para utilização e manutenção de fossas sépticas

Como dissemos, as normas da ABNT BNR te como principal objetivo garantir a segurança e a praticidade de vários procedimentos. No caso das fossas sépticas a ideia é garantir o bem-estar geral e a preservação da fauna e flora do meio ambiente.

Estas são normas importantes, por este motivo a Limpa Fossa em Porto Alegre vai dar alguns detalhes sobre ela, confira!

NBR 7229- Projeto, construção e operação de sistemas de tanques sépticos

Segundo a descrição da norma de 1993, no documento oficial do ABNT:

“Esta Norma fixa as condições exigíveis para projeto, construção e operação de sistemas de tanques sépticos, incluindo tratamento e disposição de efluentes e lodo sedimentado. Tem por objetivo preservar a saúde pública e ambiental, a higiene, o conforto e a segurança dos habitantes de áreas servidas por estes sistemas”

A NBR 7229 entre em detalhes sobre as dimensões necessárias para o projeto, incluindo profundidade útil, distâncias mínimas, materiais usados para a criação do projeto e outros detalhes específicos.

Os cálculos são devidamente explicados, incluindo o dimensionamento do tanque, a contribuição de despejos e período de detenção dos dejetos.

NBR 13969 Tanques sépticos – Unidades de tratamento complementar e disposição final dos efluentes líquidos – Projeto, construção e operação

A NBR 13969, de 1999 informa que:

“Esta Norma tem por objetivo oferecer alternativas de procedimentos técnicos para o projeto, construção e operação de unidades de tratamento complementar e disposição final dos efluentes líquidos de tanque séptico, dentro do sistema de tanque séptico para o tratamento local de esgotos. As alternativas aqui citadas devem ser selecionadas de acordo com as necessidades e condições locais onde é implantado o sistema de tratamento, não havendo restrições quanto à capacidade de tratamento das unidades. Conforme as necessidades locais, as alternativas citadas podem ser utilizadas complementarmente entre si, para atender ao maior rigor legal ou para efetiva proteção do manancial hídrico, a critério do órgão fiscalizador competente.”

Como é possível notar, esta norma trata de assuntos similares a primeira norma citada. Porém, com algumas atualizações e alternativas, além um detalhe importante: As normas relacionadas a disposição dos dejetos da fossa.

Em relação ao descarte de dejetos, a norma fala sobre as preocupações contra a contaminação de aquíferos, manutenção da condição aeróbica na vala, sistemas de reuso local grau te tratamento necessário e todos os outros procedimentos relacionados.


Como saber se uma empresa segue as normas para utilização e manutenção de fossas sépticas

Ao contratar uma empresa de limpeza de fossas, é de suma importância contar saber se a empresa segue todas as normas e procedimentos necessários para a limpeza da estrutura.

Assim, você garante que não haverá nenhuma alteração no funcionamento da fossa que possa prejudicar o tratamento de esgoto. Você também garante que a empresa fará o descarte correto dos dejetos, sem contaminar o meio ambiente.

O descarte correto de efluentes domésticos deve sempre ser feito off-site, ou seja, transportado para outro local, que sempre deve ser um aterro adequado e autorizado.

Mas como saber que a empresa realiza os procedimentos corretamente?

Todas as empresas de limpa fossa devem possuir os registros e autorizações necessárias para realizar atividades nesta área.

Cada estado possui maneiras diferentes de autorizar uma empresa e garantir que ela segue todas as normas. No estado de Porto Alegre, as certificações e autorizações necessárias são da SABESP, CETESB, IBAMA e o Alvará de Funcionamento que é emitido pela prefeitura da cidade.

Sempre procure por empresas que apresentam todas as certificações. Lembre-se que muitas vezes o barato pode sair caro, e a cobrança pode vir mais cedo do que imaginamos. Ou seja, contrate uma empresa pela sua confiabilidade e experiência.

A Limpa Fossa em Porto Alegre possui todas as certificações necessárias para executar trabalhos de limpeza de fossa em Porto Alegre. Também contamos com profissionais treinados e equipamentos de ponta para realizar uma limpeza eficiente.

Entre em contato com a Limpa Fossa em Porto Alegre e conheça mais sobre a gente, nossos serviços e condições! Temos a certeza de que encontrará o que procura.

Total de Visualizações 108 , Hoje 6 

(Visited 3 times, 1 visits today)
Limpa Fossa em Porto Alegre
× WhatsApp 9556-4343